* * * Encontros de Lua e de Mar * * *

 

 

Monday, November 15, 2004

* Da Lua... *

Vivi na escuridão dos dias enquanto a paz a mim regressava.
Reencontro a luz das tuas águas escuras que me embalam na noite.
Tu és a continuidade do meu ser.
O fogo frio de um corpo em chamas revolto. Enrolado em nós.
Enrolado em ondas de paixão, desejo, suor e amor.
Eu, Lua.
Tu, Mar.
E buscamos juntos a perfeição de um amor que de tão perfeito jamais o será.
Jogamos cartas numa mesa redonda. E em cada canto um destino.
Em cada figura uma vontade.
Olvidando passado e presente. Na procura de um futuro nosso.
Prendeste o meu brilho na tua vaga.
Encostei o rosto na tua espuma.
Não te toco, mas olho-te.
E quando não te vejo, sinto-te.
Em mim. Vestida de ti e de amores partilhados.
De encontros desencontrados.
E com lábios doces de amargos amanheceres, beijo o teu leito de segredos profundos.
E despeço-me.
Tu és a luz que reflicto.
Sem ti, ela não existiria.
Mar. Meu Mar.

posted by The Moon at 10:59 PM 10 comments

 

Lua     e     Mar

Monday, August 16, 2004

* Do Mar... *

Vem...sejamos um para sempre. Já só as noites não chegam para tanta paixão. Já o espaço que ocupo não basta para o desejo de te tocar uma e outra vez. De sentir teus lábios tocando os meus de mansinho como apenas tu consegues fazer. De tactear teu corpo por cada milímetro, uma e outra vez até que corpos esgotados escolham o repouso nos braços do outro. Vem-te banhar nas minhas águas até nos perderem o rasto. Sejamos apenas recordações de mortais. Lembranças de um amor que aconteceu e que para sempre ficou eternizado nos seus olhares. Façamos diminuir o universo para que a distância entre nós não seja mais distância e a colisão de dois corpos se faça sentir por todos eles, aqueles que não acreditam na palavra "amor".

Esta noite apaga as estrelas, amor, e vamos ser tudo o que pudermos ser. Esta noite apaga as estrelas, vamo-nos amar.

posted by The Sea at 4:35 PM 0 comments

 

Lua     e     Mar

Thursday, August 12, 2004

* Da Lua... *

Estremece um corpo.
Rangem peles de odor almiscarado de saudade.
Sinto que a alma se rasga em pequenos cristais que se espalham pelo universo infinito.
Eu.
Lua erguida e alva que ilumina uma noite de amantes.
Tu.
Mar divino de forças inexplicavelmente arrancadas de ventres de emoções.
Estendo-te uma mão.
Quase te toco com a ponta dos dedos envoltos de carícias negadas pelos deuses.
Ouves a música que se espalha enrolada na brisa?
Cada nota que se ergue abraçada pelo vento, é amor acabado de fazer no leito das águas doces com que me brindas.
Vejo ao longe a pequena embarcação.
No embalo do teu ondular, as redes do pescador namoram as profundezas.
Tento penetrar nesse teu olhar límpido e cheio de mim.
E cada raio do meu corpo é braço que te rodeia e te traz em pedaços salgados de doce carinho.
Vivo em ti.
Em nós.


posted by The Moon at 1:31 AM 0 comments

 

Lua     e     Mar

Saturday, July 31, 2004

* Do Mar... *

Lembranças desvanecem-se.
Recordações...serão essas apenas fruto da minha imaginação? A verdade é que já não me recordo de ter vida anterior aquela que agora partilho contigo. E aqueles rasgos ténues de sentimento de reconhecimento por algo ou alguém, nada mais são que "deja vú" de qualquer recordação de outro alguém que não sou eu.
No entanto a primeira visão de ti ficou-me gravada, qual fotografia que coloco numa qualquer parede de quarto, uma qualquer não, em todas elas, em todos os quartos, por toda a casa. Trago essa visão cravada nos olhos para não mais deixar de te ver. Trago-te a ti, para não mais deixar de te ter.
E são só nas noites, noites loucas, no entanto tão poucas, que num beijo nos encontramos, nos perdemos em corpos opostos, para nos reencontrar na chegada de um sol madrugador, que não mais me traz nada excepto a dor da espera pela noite. Noite, que te encontro despida, vestida apenas de desejo das horas que temos como apenas nossas. Em que todos os outros dormem ou apenas morrem, e que nós vivemos, amamos e o "sempre" encontramos.

posted by The Sea at 2:54 PM 0 comments

 

Lua     e     Mar

Monday, July 26, 2004

* Da Lua... *

Ouço-te dizer o meu nome.
A sonoridade das tuas ondas que enrolam na areia.
Gemidos de saudade.
Na falta do crescente minguante que as ilumina.
Mas cheguei.
O Sol deita-se no horizonte de névoas. Ergo-me eu na luminosidade do Céu.
Rodeio-me de estrelas que te ofereço em bandeja de amor forjada.
Nesta distância tão alta sei que estás perto.
Tu em mim pelo aroma de maresia.
Eu em ti pela luz que levo às profundezas do teu ser.
Em cada concha que em ti se prende, encontras um raio de mim.
Guardado feito tesouro.
Longe de olhares conspurcantes. Perto do teu coração de coral.
No silêncio da noite permaneço.
Observo-te ondulante.
Repouso meu corpo no teu leito.
Assim ficaremos.
Pela madrugada.


posted by The Moon at 2:06 PM 0 comments

 

Lua     e     Mar

Saturday, July 24, 2004

* Do Mar... *

Nunca me incendiou como tu o fazes.
Nunca conseguiu aquecer a gélida cortina que trazia no peito para o manter como meu.
Nunca o sol o fez.
Nunca ninguém o fez.
Até tu chegares.
Trazias no peito, uma calma serena que só tu sabes onde a buscar.
Essa calmia em que me fulminas só com um olhar, que me deixa ultrapassado, num estado muito aquém do que me encontro.
Por isso me dediquei a uma vida de adoração.
Adorar cada um dos estados em que te mostras a mim, teu espectador.
O único que se dignou a fazer uma reflexão tua, suficientemente grande para a tua importância.
E mesmo assim, não o suficiente.
Só a tua força me consegue fazer mover.
Só ela me dá razões para me arrastar pela Terra na tua busca.
Busca que sei falhada.
Mas que sei, não a irei parar por nada.

posted by The Sea at 10:20 PM 0 comments

 

Lua     e     Mar

Friday, July 23, 2004

* Começou... *

No início era um espaço sem luz. De sombras.
Até que se ergueu no firmamento. Redonda. Luminosa.
E aconteceu.
A união.
Quando dois elementos se juntam
Duas fantasias se abraçam.
Céu e Água
O Céu desce e afoga-se no Mar
O Mar voa até à Lua
Nascem prosas do verbo Amar
Crescem rosas em cada rua
Espalhadas pelas ondas do pensamento
Submersas na profundidade do sentimento
Onde as palavras são meras vagas de um luar
Agora apenas reflexos do mar


Lua    e    Mar

posted by The Moon at 11:14 PM 0 comments

 

Lua     e     Mar